As empresas hoje precisam de novas alternativas para a solução de pequenos e grandes problemas, diante das demandas de sindicatos, governos, fornecedores, clientes e outros players em um cenário de alta complexidade social, política e econômica crescente. Todas as demandas e problemas que ficaram para traz sem uma solução, hoje estão aí de volta, muito mais agressivos e exigindo muito mais energia das empresas e profissionais onde a única saída é mergulhar no mundo de da reinvenção contínua.

Façam uma reflexão retrospectiva e vejam que no início da década de 70 mal se conheciam computadores. Ainda eram coisas que beiravam à ficção. Hoje falamos em viver em uma realidade virtual, o Metaverso!

Para mim, chega a ser assustador!

Embora muitos não tenham percebido, ou não queriam perceber, o mundo mudou. A pandemia escancarou as portas mostrando isto de uma forma avassaladora! Práticas de gestão consideradas infalíveis “balançaram” com uma geração de jovens ansiosos e impacientes trazendo uma nova visão de gestão ao mundo empresarial!

A inovação passou a ser a arma imprescindível às empresas e o desenvolvimento de produtos seu quartel!

Desta forma, a questão que coloca em xeque decisões drásticas da empresa no movimento de seus quadros de profissionais, com a visão ansiosa da gestão, é a probabilidade disruptiva de seu banco de conhecimento.

O modelo de gestão por si só é “manco” se não estiver alicerçado sobre a base tecnológica da empresa, no conhecimento mais profundo do que produz.

O peso que se dá a gestão de um modo geral, é desproporcionalmente maior do que ao que se dá a base do conhecimento tecnológico.

Fato é, a descriminação de idade presente nas empresas.

Toda esta ebulição presente é a grande oportunidade de unir talentos para impulsionar inovações e desenvolvimento. Unir jovens e mais velhos. Novos conhecimentos e base tecnológica que é essência do negócio.

Acreditamos  muito que para entender o futuro é preciso entender o passado!

O bom senso em manter equipes equilibradas entre os que têm menos experiência e os que têm mais experiência é mais prudente e racional. Esqueçam um pouco a idade e olhem mais o conhecimento. Politicas extremas podem gerar resultados contraproducentes